Resultados
Saiba os resultados
das suas análises
Notícias
Teste Genético para deteção de infeção pelo vírus papiloma humano (HPV)

 

O Moduslab, disponibiliza, em parceria com a Infogene, um teste genético para deteção de infeção ginecológica pelo HPV, aprovado pelo INFARMED - otestedamulher. Esta infeção está associada ao desenvolvimento do cancro do colo do útero e o seu diagnóstico precoce é fundamental.

O cancro do colo do útero é uma importante causa de morte nas mulheres, particularmente nos países subdesenvolvidos. No entanto, Portugal apresenta uma das maiores taxas de incidência da União Europeia (cerca de 14.8 casos por cada 100.000 mulheres).

Na quase totalidade dos casos de cancro do colo útero e displasia epitelial pré-invasiva, a origem da doença deve-se a uma infeção persistente com o vírus do papiloma humano (HPV), particularmente os serotipos de alto risco oncogénico. Assim sendo, torna-se essencial um programa de rastreio eficaz e de acesso universal para deteção e intervenção precoce.  

 

 

Qual o papel do teste genético do HPV no rastreio do cancro do colo do útero?

 

Atualmente, o programa de rastreio do cancro do colo do útero assenta na realização frequente de citologias vaginais (Papanicolau), em mulheres com idades compreendidas entre os 25 e 60 anos. A tecnologia recente permitiu o desenvolvimento de testes genéticos que detetam a presença do ADN do vírus do papiloma humano em amostras de células do colo do útero, utilizando a técnica de amplificação por PCR. Este teste genético permite detetar o ADN dos serotipos de alto risco cancerígeno (um total de 12 serotipos: 16, 18, 31, 33, 35, 39, 45, 51, 52, 56, 58 e 59), cobrindo virtualmente todos os agentes virais responsáveis pelo desenvolvimento das lesões neoplásicas.

 

Que vantagens em relação à citologia comum?

 

Efetivamente, o teste genético do HPV tem demonstrado, de forma consistente[1], em estudos prospetivos, ser um teste mais sensível para deteção de lesões intraepiteliais decorrentes da infeção viral persistente. Ou seja, a sua utilização, de forma isolada, ou combinada com a citologia, permite detetar um maior número de lesões em estadio precoce. De tal forma, que um teste negativo, permite um intervalo mais prolongado até realizar um novo teste (até 5 anos).

Outra vantagem importante decorre do facto de otestedamulher permitir às mulheres fazer uma auto-colheita, em casa ou no laboratório, eliminando o eventual constrangimento que uma colheita ginecológica possa causar.

 

Quem deverá fazer este teste?

 

Segundo o que está preconizado na literatura, as mulheres a partir dos 30 anos podem realizar este teste, para despiste de infeção viral persistente pelo HPV [2]. Não é recomendado o teste em idades inferiores, porque nestas existe uma grande taxa de infeções transitórias pelo HPV, o que resultaria numa elevada taxa de falsos positivos e intervenções terapêuticas despropositadas.

 

Como pode fazer o teste?

 

Caso esteja interessada neste teste, pode adquirir o Kit no Moduslab, que inclui todos os componentes necessários para a colheita e um envelope pré-pago para envio da amostra.

Se pretender mais esclarecimentos por favor contacte-nos!

 

 

 

Referências:

1. Rijkaart DC et al.: "Human papillomavirus testing for the detection of high-grade cervical intraepithelial neoplasia and cancer: Final results of the POBASCAM randomised controlled trial." Lancet Oncology 2012 Jan; 13:78.

2. Meijer CJ et al.: "Guidelines for human papillomavirus DNA test requirements for primary cervical cancer screening in women 30 years and older." International  Journal of Cancer.  Fev 1 2009; 124 (3):516-20.