Resultados
Saiba os resultados
das suas análises
Notícias
Deteção do cancro do cólon, em sangue periférico.

O Moduslab disponibiliza, em parceria com a CGC Genetics, um teste inovador para deteção precoce de doenca oncológica colo-rectal.  Este teste não substitui a colonoscopia como método de eleição, mas representa uma importante ferramenta adicional, com desconforto mínimo para o utente.

 

 

 

Método utilizado:

 

Esta análise permite detetar a presenca de um marcador epigenético: a forma metilada do gene da Septina 9 (SEPT9).

Este é um gene envolvido no processo de divisão celular, cujo DNA se encontra metilado nas células tumorais do cólon e esta alteração é detetável através de análise de sangue.

 

Os primeiros estudos referentes a este método remontam a 2009 (1). Contudo, tem havido um aperfeiçoamento da técnica e um estudo recente (2) atribui-lhe uma sensibilidade (capacidade de detetar a alteração, na presença efetiva de cancro colo-rectal) de 90% e uma taxa de falsos positivos inferior a 10%. O teste apresenta igual eficácia na deteção de doença cancerosa do cólon distal e proximal.

 

Importância do rastreio do cancro colo-rectal:

 

O cancro colo-rectal é uma importante causa de mortalidade, no mundo desenvolvido, devido a uma interação de múltiplos fatores. Em Portugal, a incidência desta doença ronda os 7000 novos casos por ano. No entanto, quando o diagnóstico é precoce, existe uma grande possibilidade de sucesso terapêutico. Assim sendo, e atendendo à ausência de sintomas nos estadios iniciais da doença, é essencial adotar um método eficaz de rastreio desta doença na população.

 

Rastreio: Como e quando?

 

O método de eleição para rastreio do cancro colo-rectal é a colonoscopia, estando indicada a partir dos 50 anos (ou 10 anos antes da idade de diagnóstico desta doença em familiar em 1ºgrau). A colonoscopia permite a deteção de lesões pré-malignas, os adenomas e a sua remoção terapêutica.

Infelizmente, estima-se que uma importante fatia da população não adere a este rastreio, pelo que é importante desenvolver ferramentas adicionais para deteção precoce desta grave doença. 

 

 

 

Referências:

1. Theo deVos, Reimo Tetzner, Fabian Model, et al: "Circulating methylated SEPT9 DNA in plasma is a biomarker for colorectal cancer". Clinical Chemistry 2009, 55:1337-1346.

2. Jorja D Warren, Wei Xiong, Ashley M Bunker, et al: "Septin 9 methylated DNA is a sensitive and specific blood test for colorectal cancer". BMC Medicine 2011, 9:133.